The free-love lifestyle!

Às vezes é necessário descer da Lua pra lembrarmos que ainda somos humanos, que nossos corações ainda bombeiam sangue e enviam pra onde for necessário.
A vida é cheia de ondas de cores nuances e percepções. Algo seu encaixa se encaixa dentro de mim e seguimos uma trilha meio deserta porém intensa de transposições e mudanças, embora o que se queira mesmo é encaixar corpos, mas isso é conversa pra depois, pra quando algo morar no possível.
Nada fora do lugar, me repetiriam frases zen. Nada nem melhor nem pior. Apenas como se é e desculpa se quiseres fugir disso. Acho que não. Qualquer tipo de amor continuará sendo amor, mesmo fugindo das convencionalidades humanas, das amarras ideológicas que absorvemos mesmo sem querer e delas nos tornamos prisioneiros durante tanto tempo.
Sempre fiquei viajando quando ouvia a Débora Blando cantar raulseirismos relacionados com o amor... É, só dura em liberdade mesmo, ciúme é só viagem. Amor não tem a ver com sexo e vontade de sentir prazer. The free-love is a lifestyle.




C´est la vie, bear!

1 comentários:

D disse...

nossa... a mensagem que deixou no blog foi uma das coisas mais lindas que alguém já disse sobre minhas tentativas literárias - fiquei lendo várias vezes acreditando e me emocionando com a possibilidade de comunicar e tocar os sentimentos no outro - fico muito agradecido - aqui, lendo seu texto, entendi sua necessidade sicera de escrever, de buscar esse caminho do dizer - caminhemos querida amiga! =D

Postar um comentário

Habla!